terça-feira, abril 08, 2008

Uma personalidade: Doris Lessing

Nasceu a 22 de Outubro de 1919 em Kermanshah, na Pérsia (actualmente Irão), filha de pais britânicos, Doris Lessing cresceu na Rodésia (Zimbabué), onde a família se instalou numa quinta quando ela tinha cinco anos.

Frequentou uma escola católica que viria a abandonar aos 14 anos para trabalhar como baby-sitter e a sua infância em África viria a marcar algumas das suas obras.

Foi impiedosa nas críticas aos governos racistas na África do Sul e da Rodésia, o que lhe valeu a proibição de entrada nesse países (na África do Sul entre 1956 e 1995).

Tem três filhos de dois casamentos e depois de dois divórcios instalou-se em Londres, em 1949, com um dos filhos. Encontrou emprego como secretária, mas viria a abandonar essa tarefa depois do sucesso dos seus primeiros livros.

Em 1950 publicou "A erva canta". Em 1962 lançou a obra que lhe daria fama internacional, "The Golden Notebook", e consolidou essa fama com uma série de títulos sobre temática africana como "African stories" (1964).

Comunista na juventude, Doris Lessing, que continuou sempre uma mulher empenhada na defesa dos seus ideais, publicou depois várias obras de ficção científica, a primeira das quais "Shikasta" (1981).

Em 1995, publicou o primeiro volume da sua autobiografia "Under My Skin". Três anos depois publicaria o segundo volume, com o título "Walking in the Shade".

Em 2001, ganhou o prémio Princípe das Astúrias de Letras.

Mais recentemente, criticou o regime ditatorial do presidente Robert Mugabe e foi de novo declarada indesejável no Zimbabué.

Actualmente vive nos arredores de Londres, tem-se dedicado à ficção científica.

Em 2007 foi distinguida com o Prémio Nobel da Literatura a poucos dias de completar 88 anos, caracterizada como "a contadora épica da experiência feminina, que com cepticismo, ardor e uma força visionária perscruta uma civilização dividida", segundo a Academia.



CURIOSIDADE:


Quando a Academia Sueca anunciou o seu nome como Vencedora do Prémio Nobel de Literatura 2007, a escritora encontrava-se em Londres, a fazer compras. Ao chegar a casa, e ao ver os jornalistas à sua porta, perguntou o que ali estavam a filmar, pensando que se tratava da gravação de uma novela, como é habito naquela rua. Foi então que Doris Lessing soube da sua distinção, mostrando-se muito surpreendida.

11 comentários:

  1. Pelo que li na altura, não foi apenas ela a ficar surpreendida com o Nobel.
    Gostei do post. Gostei de saber mais, porque basicamente, não sabia nada sobre ela além do Nobel.

    Beijinhos! :)

    ResponderEliminar
  2. Gostei de saber...giro!:)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  6. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  7. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  8. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  9. LOL

    O gajo é insistente =P

    ResponderEliminar
  10. As coisas que tu sabes, mulher!

    Eu cá sou muito ignorante...
    realmente, há coisas que me passam mesmo ao lado, esta era uma delas!
    Faz-me bem falar contigo!
    Bjinho

    ResponderEliminar
  11. Eh pá apaga este spam todo definitivamente.
    O que mais me lixa nesta coisa dos blogs é receber comentários destes...
    :D

    ResponderEliminar

Recebo as vossas palavras de coração...