sexta-feira, março 28, 2008

Falas de civilização...


Falas de civilização, e de não dever ser,
Ou de não dever ser assim.
Dizes que todos sofrem, ou a maioria de todos,
Com as coisas humanas postas desta maneira,
Dizes que se fossem diferentes, sofreriam menos.
Dizes que se fossem como tu queres, seriam melhor.
Escuto sem te ouvir.
Para que te quereria eu ouvir?
Ouvindo-te nada ficaria sabendo.
Se as coisas fossem diferentes, seriam diferentes: eis tudo.
Se as coisas fossem como tu queres, seriam só como tu queres.
Ai de ti e de todos que levam a vida
A querer inventar a máquina de fazer felicidade!

(Alberto Caeiro)

9 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Este não conhecia!
    Obrigada pela partilha.

    Beijo GRANDE!!!

    ResponderEliminar
  3. resolvi andar na rua...
    com os olhos postos no chão...
    Quem me quiser que me chame...
    ou que me toque com a mão...

    Quando a angústia embaciar...
    de tédio os olhos vidrados...
    olharei para os prédios altos...
    para as telhas dos telhados...

    Amador sem coisa amada...
    aprendiz colegial...
    Sou amador da existência...
    não chego a profissional...


    e eu reescrevo...nao me pertence...
    nao lhe dou devido papel...
    felicidade e coisa instantanea...
    trago em pacotes pequeninos...

    ja distribui muitos...sem parar...
    quis dar sem amar...
    para mim o mundo e dos meninos...
    eles sim sorriem...com sabor a mel!

    ResponderEliminar
  4. Amiga querida passo para desejar um santo e abençoado fim de semana.
    Tudo de bom.
    Muitos beijinhossssss.
    Tenho tido saudades tuas.
    Espero que esteja tudo bem contigo.
    Fica bem. Fica com Deus.
    Anita (amor fraternal)

    ResponderEliminar
  5. Felicidade!
    Onde estás?

    Sofrimento!
    Quando chega o teu fim?

    Como pode haver felicidade para todos, quando o mundo nos devora,
    principalmente os governantes!

    Quem mais nos deveria fazer contrair a felicidade individual, não serão estes?
    Será que têm a noção para que existem, ou para que naceram?


    Bjo

    ResponderEliminar
  6. "máquina de fazer felicidade"?!
    Bem...
    máquinas não somos!
    Se calhar por isso é que é tão difícil ser feliz... quando a felicidade é construida por humanos que, pelo facto de o serem, são imperfeitos. Daí não se conseguir uma felicidade perfeita!
    Contentemo-nos, então com o que pudermos ter e seremos felizes!

    Bjão

    ResponderEliminar
  7. Esta é a alma que voa de um Profeta
    Ao encontro do teu sentimento
    Este é o sal de alva espuma
    Que te ofereço e diadema de espanto…

    Olhos de alma, da tua alma
    Quero-os no cais da minha chegada
    Espero por ti em manto de ternura
    No encontro da minha caminhada


    Bom fim de semana

    Mágico beijo

    ResponderEliminar
  8. Cátia nem sabes o quanto este poema me fez pensar...

    Pobre mesmo de quem procura a máquina de fazer felicidade... quando Ela está dentro de cada um de nós... Beijo

    ResponderEliminar
  9. Venho deixar-te um beijo, dizer obrigada... desejar uma boa semana!

    Um abraço!
    (estou uma mãos largas) :P

    ResponderEliminar

Recebo as vossas palavras de coração...