segunda-feira, julho 28, 2008

Vamos escrever uma estória?

Hoje decidi provocar-vos, desafiar-vos... Há umas semanas, vi a fotografia de um quadro que a Joana Ramos (filha de uma grande amiga ;) ) fez e fiquei impressionada... O quadro, só por si, faz-nos viajar para o mundo das estórias.

Hoje desafio-vos a que me contem a estória que ela vos inspira. Comentem aqui, ou enviem para o email catiaazenha@gmail.com que posteriormente darei feedback.

Quadro de Joana Ramos
(acrilico s/ tela)

À Joana (e à mãe da Joana) deixo um beijinho e espero que não se importem por promover este desafio.

quarta-feira, julho 23, 2008

Acordo Ortográfico...

Para mim esta é uma semana triste... O exmo Senhor Presidente da República, Professor Cavaco Silva, por quem eu tinha alguma consideração, promulgou o Acordo Ortográfico, ratificado no Parlamento a 16 de Maio deste ano.

O Segundo Protocolo do Acordo Ortográfico, cuja ratificação era essencial para a entrada em vigor do acordo, foi aprovado no Parlamento a 16 de Maio com os votos favoráveis do PS, PSD, Bloco de Esquerda e sete deputados do CDS.

O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990 é um tratado internacional que tem por objectivo criar uma ortografia unificada para o português, a ser usada por todos os países de língua oficial portuguesa que o venham a aprovar. Foi assinado por representantes oficiais de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe em Lisboa, em 16 de Dezembro de 1990, ao fim duma negociação entre a Academia de Ciências de Lisboa e a Academia Brasileira de Letras iniciada em 1980. Timor-Leste aderiu ao Acordo em 2004 depois de obter a sua independência. O acordo teve ainda a presença de uma delegação de observadores da Galiza.

O Acordo Ortográfico de 1990 pretende instituir uma ortografia oficial única da língua portuguesa e com isso aumentar o seu prestígio internacional, dando fim à existência de duas normas ortográficas oficiais divergentes: uma no Brasil e outra nos restantes países de língua portuguesa.

Para além de Portugal, já ratificaram o Acordo Ortográfico Brasil, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe. De salientar que Moçambique e Angola não irão ratificar, o que fará com que, daqui a seis anos, seja nesses dois países que se falará Português correcto.

É oficial: eu sou contra o acordo ortográfico!! Aqui continuar-se-á a falar sempre Português!

quinta-feira, julho 17, 2008

Hoje desejo...


"A minha próxima vida quero vivê-la de trás para a frente. Começar morto para despachar logo esse assunto. Depois acordar num lar de idosos e sentir-me melhor a cada dia que passa. Ser expulso porque estou demasiado saudável, ir receber a pensão e começar a trabalhar, receber logo um relógio de ouro no primeiro dia. Trabalhar 40 anos até ser novo o suficiente para gozar a reforma. Divertir-me, embebedar-me e ser de uma forma geral promíscuo, e depois estar pronto para o liceu. Em seguida a primária, fica-se criança e brinca-se. Não temos responsabilidades e ficamos um bébé até nascermos. Por fim, passamos 9 meses a flutuar num spa de luxo com aquecimento central, serviço de quartos à descrição e um quarto maior de dia para dia e depois Voilá! Acaba com um orgasmo! I rest my case."

(Woody Allen)

quarta-feira, julho 09, 2008

Maus tratos...

Já aqui falei várias vezes de maus tratos a que as crianças são sujeitas. Já escrevi até (parte) de um conto, que coloquei aqui. Quer queiramos quer não, existe uma série de crianças que são maltratadas pelos pais, irmãos, avós, ou outros familiares, por amigos dos familiares, ou até mesmo por perfeitos desconhecidos.

Não vamos fechar os olhos, nem falar hipotéticamente!! Basta de dizer que "sim, admito que aconteça..."!! Olho à minha volta e vejo sem pensar muito, entre amigos e amigos de amigos cinco pessoas (5!!), todas já crescidas que foram maltratadas mais ou menos novas. Foram maltratadas, bateram-lhes ou foram, pura e simplesmente abusadas sexualmente (ou tentativa de). Andamos todos de olhos fechados?! Será que não queremos ver?! Onde andam os pais com a cabeça ou onde andam eles para não tentarem impedir o sofrimento dos filhos?

O sofrimento, a baixa auto-estima, o sentimento de culpa, a degradação psicológica, os momentos de oscilação de humor, o não conseguir ter ou manter uma relação amorosa por muito tempo, a necessidade de todos os carinhos que lhe possam dar, são algumas das consequências desses actos.

Peço a todos os que me leem que reflitam sobre isso, sobre os números, sobre o que andamos a tentar ignorar. Aos pais e mães que me leem pergunto-lhes se já falaram com os filhos sobre isso, sobre algum possível incidente, porque eles existem e afectam muito, mesmo quando não são concretizados.

Aos jovens e aos menos jovens que foram violentados, e amordaçados para a vida sugiro que contem a alguém se ainda não o fizeram, ou que procurem algum tipo de ajuda. Não digam que não precisam, que conseguirão resolver, mas a verdade é que em todos os dias terão atitudes, mais ou menos visiveis, consequência daqueles abusos. Mas há uma coisa que quero deixar-vos bem acente, a culpa NÃO é vossa, nada poderiam fazer enquanto crianças ou jovens perante essa situação, perante um abusador, por vários motivos, nomeadamente porque normalmente são fisicamente mais fracos e porque o choque, a surpresa da situação condiciona uma reacção.

Quanto aos amigos e aos familiares peço que não critiquem nem se afastem. Por vezes existe aquele primeiro olhar ou a primeira reacção de desconfiança. Nunca duvidem do que uma criança vos conta, porque já é demasiado doloroso admitir. E lembrem-se que a culpa não é das crianças, mas dos que lhe fizeram mal. Elas apenas precisam de apoio, de sentirem-se protegidas e amadas.

Peço a todos, suplico-vos mesmo, que pensem e reflitam sobre o assunto... Os numeros são assustadores e não podem ser, mais, ignorados!

quinta-feira, julho 03, 2008